domingo, 12 de julho de 2009

O Fusquinha vira trabalho acadêmico no Piauí

Bacana quando as histórias escritas pela gente ganham o coração dos leitores, bacana também quando ganham os corações de que estuda a literatura infanto-juvenil. Foi o que ocorreu com o meu livro O Fusquinha cor-de-rosa, que virou dissertação de conclusão de curso da Joanna Caroline Pontes Vilanova, cujo título é A quebra dos padrões impostos nas identidades de gênero na Literatura Infnato-juvenil contemporânea. A seguir, o resumo do projeto:

Resumo:
Este trabalho é composto de uma análise das obras: O fusquinha cor-de-rosa, de Caio Riter; e Menino brinca com Menina?, de Regina Drummond, sob a perspectiva da representação da identidade de gênero na literatura infantil. Para concretizar esse propósito, foi necessário, previamente, um embasamento teórico que expõe como a ideologia age em meios como a cultura, identidade, gênero e na formação do leitor infantil na escola ocultando as múltiplas realidades existentes na sociedade, a fim de constatar com a evolução dos tempos, a desmistificação de padrões de gênero que a sociedade estabelece. A partir da análise das obras selecionadas percebeu-se que a representação da identidade de gênero não tem intenção de determinar papéis inquestionáveis ao ser humano, mas sim desconstruir conceitos estereotipados, permitido que o leitor infantil torne-se, desde cedo, crítico diante da realidade que o cerca. Com essa nova perspectiva que é abordada no trabalho, o leitor criança ampliará sua visão de mundo e terá menos tendência de tornar-se um adulto preconceituoso e discriminador.

Um comentário:

Marli disse...

Genial, Caio! Deve ter ficado muito interessante. O universo de tuas personagens passa pela realidade de nossas crianças e jovens. Parabéns!