terça-feira, 18 de novembro de 2008

Palavras 17

FEIRA DO LIVRO - Palavras que florescem lilases como jacarandás. Espaço para encontros, para ternuras e leituras, páginas que abrem expectantes àqueles que lêem, àqueles que escrevem. Repetição sempre desejada.

domingo, 16 de novembro de 2008

Eu, Biblioteca

A vida de escritor tem lá suas boas surpresas. Lembro que, quando comecei a pensar em escrever, queria ser escritor que existisse, queria que meus livros existissem, ou seja, que fossem lidos, que fossem desejados, que suscitassem carinho no coração de seus leitores, que reverberassem sonhos. Este desejo, aos poucos, vai se realizando. E, dia 14, a cidade de Morro Reuter, que atantas alegrias jáme proporcionou, brindou-me com carinho maior: virei biblioteca!
Desde sexta passada, sou nome de uma simpática biblioteca, toda inspirada em meu livro O Fusquinha Cor-de-Rosa, o preferido das crianças da escola Dom Bosco.
Emoção impar, ver aqueles pequenos leitores tão encantados com a minha presença, tão receptivos. Meu coração-escritor ficou em festa. Festa literária, festa de carinho pleno, festa de perceber-me escritor de fato, palavras capazes de estenderem pontes e de tocarem corações tão sensíveis que se curvam a uma homenagem, que, por vezes, fico a duvidar ser merecimento.
Coisa boa de se viver: eu, biblioteca!

Caio e os escritores 9 - Hermes Bernardi e Gláucia de Souza

Abaixo, segue texto que escrevi, a fim de acolher duas pessoas muito queridas como embaixadores da Confraria do Braile, um trabalho muitointeressante, já premiado com o Fato Literário, que visa a divulgar a leitura para os deficientes visuais. Muitos são os textos e os autores que se engajaram no projeto, coordenado pela professora Isabel Santana. Eu, o antigo embaixador, homenageei os novos embaixador e embaixatriz com as palavras que seguem:


NUM MUNDO DE FAZ DE CONTA, NÃO MUITO LONGE DAQUI, EXISTEM DOIS PLANETAS: O MARTE BEM PEQUENININHO E O PLANETA CAIQUERIA

EM CADA UM DESTES UNIVERSOS DE FANTASIA, VIVEM DUAS PESSOAS ESPECIAIS: A GLÁUCIA DE SOUZA E O HERMES BERNARDI, QUE EU QUERO AGORA APRESENTAR A VOCÊS

ELA, CADA VEZ QUE EU A ENCONTRO, DESCONFIO QUE SEJA UMA FADA DISFARÇADA DE GENTE. SUA VOZ TRANQÜILA, SEU JEITO MEIGO, SUA SIMPATIA SÓ PODEM MESMO SER COISA DE SER ENCANTADO, COISA DE ALGUÉM QUE TEM ALGUMA MISSÃO A CUMPRIR E, POR ISSO, FICA SE DISFARÇANDO DE GENTE COMUM.







A GLÁUCIA, COMO FADA QUE É, VAI CRIANDO PALAVRAS, VAI INVENTANDO POESIAS, RIMAS E HISTÓRIAS E VAI FAZENDO A GENTE PERCEBER QUE VIVER É BOM DEMAIS, QUE SONHAR É BOM DEMAIS, QUE MERGULHAR EM SUAS HISTÓRIAS-TECELINAS É ALEGRIA SEMPRE.

ELA, A GLÁUCIA, TEM MESMO JEITINHO DE FADA, UMA FADA EMBAIXATRIZ.


ELE, O HERMES BERNARDI, CADA VEZ QUE O ENCONTRO, DESCONFIO QUE SEJA UM REI OU ALGUM HERÓI SEMPRE DISPOSTO A LUTAR CONTRA OS MONSTROS MAIS TERRÍVEIS: DRAGÕES, BRUXAS MALVADAS, GIGANTES E OGROS, ME PARECE, COM ELE NÃO TEM VEZ. DEVE SER MESMO ALGUM PRÍNCIPE FUGIDO DE ALGUMA DESTAS TANTAS HISTÓRIAS QUE A GENTE JÁ LEU OU JÁ OUVIU.

PRÍNCIPE QUE INVENTA HISTÓRIAS, QUE CRIA MUNDOS DE SONHOS, QUE POETIZA A VIDA E QUE, ANDAM DIZENDO POR AÍ, DE VEZ EM QUANDO DESENHA TAMBÉM. E CRIA TAPETES, E DOBRA RINOCERONTES, E SE SUJA EM TITICAS DE GALINHAS.

ELE, O HERMES, TEM MESMO JEITINHO DE REI DE CASTELO ENCANTADO, UM REI EMBAIXADOR.










sábado, 8 de novembro de 2008

Palavras 16


CEGUEIRA - Condição essencial para o ver. Olhos que se voltam para o dentro. E descobrem, e revelam. Vital lume. Farol.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Píppi reinando

E a REINAÇÕES mais uma vez reinará na Feira do Livro. Desta vez, mergulharemos no mundo de fantasia criado pela sueca Astrid Lindgren com Píppi Meialonga e suas aventuras.

domingo, 2 de novembro de 2008

Histórias no céu da boca

E meu amigo Hermes Bernardi ( escritor, diretor de teatro, coordenador da AEILIJ-RS) segue inventando. Nesta feira do livro, sua invenção é bem-vinda. Entrevistará alguns autores de LIJ que falarão sobre o seu processo criativo. Serão dois encontros e, com certeza, muitas histórias. E a função já começa hoje. Ah, eu sou um dos entrevistados. Se alguém quiser saber um pouquinho mais sobre meus processo de criação, apareça lá. Convite abaixo.

sábado, 1 de novembro de 2008

Mais uma Feira do Livro

Apesar das dificuldades que envolvem a realização de qualquer evento cultural em nosso estado, a Praça da Alfândega ja está repleta de livros, de animação, de leitores, de alegria. A festa do livro desabrocha entre os jacarandás liláses. O sino já foi soado pelo Xerife, o patrono anterior já deu posse ao Charles Kiefer, e a Feira começa sua 54ª caminhada, olhos voltados para a cultura pernambucana, ontem representada pelo secretário (que não quer ser chamado assim) de cultura Ariano Suassuna. Oitenta e um anos de sabedoria e de simplicidade, num discurso sem academicismos (apesar de professor e de imortal) que emocionou e fez rir a platéia presente no Sancho Pança. Bacana ver a área infantil reorganizada: espaços mais amplos, local mais adequado aos autores para as sessões de autógrafos. A nossa feira vive, e isso é bom. Difícil, nestes dias, é suportar a rotina diária: coração sempre desejoso de circular entre as barracas. E,hoje, às 20h, aula-magna com o autor do Auto da Compadecida. Já assisti ao Ariano na Jornada de Passo Fundo. Maravilhamento.