terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Quinze anos

14 de dezembro de 1994: lançamento de meu primeiro livro. O infantil Um palito diferente, publicação da editora Interpretavida, na Casa de Cultura Mario Quintana. Emoção muita. Minha história ali, virada livro, meus personagens prontos para ganhar os leitores e eu desejoso de mais livros pudessem vir após aquele.

Ontem, 14 de dezembro de 2009: no Teatro Renascença, na Noite do Livro, comemoro os 15 anos com o Açorianos de melhor livro infantil para minha coleção Historinhas bem... Autoria dupla, surgida do convite da Márcia Leite. Parceria vencedora.

E não posso deixar de olhar para trás, de perceber que a espera e o trabalho, de certa forma, deram frutos. Hoje, algumas editoras, muitos livros. Para os mais diferentes públicos. Mas a primeira vez que um texto meu, feito para crianças, recebe destaque da crítica. Fico feliz. Bem feliz. A coleção Historinhas bem — composta por quatro diferentes títulos: apaixonadas, assustadoras, asquerosas, medrosas — também tem feito trajetória bacana rumo ao coração dos leitores. Legal também ontem poder compartilhar alegria com pessoas que me têm afeto. Essa talvez a maior premiação: poder agregar parcerias pela vida a fora.

Os premiados

(Foto: Ricardo Chaves/Zero Hora)

Abaixo link com matéria da Zero Hora sobre a Noite do Livro: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2749561.xml&template=3898.dwt&edition=13731&section=999

Um comentário:

thaisrochefort disse...

Caio, é com imensa satisfação que nós, teus amigos pelos livros, te parabenizamos pelo prêmio Açores!!É merecidíssimo o reconhecimento!Tua obra já é cenário de significativas transformações na vida de teus leitores!Escola Mario Quintana - Pelotas/RS